Noticias

Empresário reage a sequestro-relâmpago e sequestrador morre na Avenida Brasil

bv3rgf2btpphyohxl42xl8fvz

O sequestro-relâmpago de uma família em Engenho da Rainha, na Zona Norte, terminou com um criminoso morto e outro suspeito baleado, na Avenida Brasil, altura de Fazenda Botafogo, na noite de quarta-feira. Para proteger sua família, o homem enfrentou os assaltantes. As vítimas conseguiram escapar sem ferimentos. Eles ficaram em poder dos bandidos por cerca de uma hora e meia dentro do próprio carro, uma Pick-up Hilux. A Divisão de Homicídios da Capital (DH) investiga o caso.

Segundo informações da polícia, Anderson Gonçalves Vianna, de 24 anos, foi atingido no pescoço e Alisson de Souza, de 20, ferido nas costas durante luta corporal com o empresário Wanderveld Sudário da Silva, 50, que foi rendido com a mulher Tereza Cristina Sudário da Silva Guedes, 44 e a filha Bruna Guedes Sudário, 22, na entrada da empresa deles, onde funciona um depósito de reciclagem de material, no Engenho da Rainha, por volta das 18h. As vítimas foram colocadas no banco traseiro do carro da família.

Ao ver uma patrulha do Batalhão de Polícia em Vias Especiais (BPVE), na Avenida Brasil, na Fazenda Botafogo, o empresário, em um ato de desespero, jogou a mulher e a filha para fora do carro e se atracou com os bandidos. A arma disparou acidentalmente e Anderson, que dirigia o veículo foi atingido. Ele ainda tentou fugir correndo, mas morreu poucos metros depois. Também ferido, Alisson foi alcançado e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde está internado sob custódia. Um revólver calibre 38 foi apreendido.

Antes do confronto, os criminosos rodaram com eles por várias favelas do Complexo do Alemão, Favela da Galinha, depois seguiram pela Linha Amarela e acessaram a Avenida Brasil, onde faziam várias ameaças às vítimas, inclusive de violentar sexualmente a filha do casal.

“Apontaram a arma para nossas cabeças e diziam que iriam mexer com a ‘princesinha do papai’. Ameaçaram me violentar e queriam levar todos para um cativeiro. Foram momentos de terror e de pânico”, disse ainda assustada a filha do casal, Bruna Guedes.

De acordo com o delegado da DH, André Leiras, os bandidos estavam nervosos e inseguros no momento em que mantinham a família refém. Segundo ele, Alisson será indiciado por roubo majorado tentado pelo emprego de arma de fogo, concurso de agentes e restrição de liberdade da vítima.

Os criminosos não tinham antecedentes criminais, segundo agentes da DH. As vítimas prestaram depoimento na unidade durante a madrugad