Noticias

Fluminense e Vasco trocam farpas após arbitragem polêmica

jogo3

 

A breve trégua entre Fluminense e Vasco neste começo de ano acabou com o empate por 1 a 1 na noite da última quinta-feira, na primeira partida da semifinal do Campeonato Carioca, no Maracanã. Revoltados com a arbitragem no clássico, os dois clubes trocaram farpas em público e retomaram o clima tenso, comum durante o ano passado.

No começo do mês, Vasco e Fluminense chegaram a formar um trio com o Flamengo para atacar o atual formato do Campeonato Carioca em carta aberta para a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) na véspera da reeleição do presidente Rubens Lopes.

No ano passado, os dois times tiveram atritos frequentes nos bastidores, principalmente no caso do jogo que marcou a reinauguração do Maracanã para os clubes. Na ocasião, Vasco e Fluminense brigaram por um dos lados da arquibancada do estádio, disputa na qual o Tricolor saiu vencedor. Daí em diante, provocações entre os dois rivais foram comuns até o fim da temporada.

A arbitragem de Wagner do Nascimento Magalhães em jogo tenso entre as duas equipes na última quinta, no entanto, tratou de desfazer a breve trégua entre os clubes. Na sexta-feira, após reclamações dos técnicos Adilson Batista e Renato Gaúcho ao fim do jogo, os vices de futebol dos dois times trocaram farpas através da imprensa.

A polêmica começou com o vice de futebol  do Vasco, Ercolino de Luca, que questionou a qualidade da arbitragem e criticou o fato da arbitragem não ser de fora do estado do Rio de Janeiro, dando a entender que os juízes cariocas não seriam confiáveis para apitar o clássico.

Irritado com as declarações do rival, o vice presidente de futebol do Fluminense, Ricardo Tenório, pediu a palavra à imprensa após o treino do Tricolor nas Laranjeiras e atacou duramente o cartola do Vasco, com direito a ofensas diretas ao cruzmaltino.

“É um brincalhão. Sugerir arbitragem de fora do Rio… É mais um desprestígio a um campeonato que já é muito criticado. Vejo falta de qualidade e critério de alguns. O que houve nesse jogo foi dois pesos e duas medidas. Nós que fomos prejudicados. Disse que o Bruno caiu em cima da mão. Só posso ver como uma declaração de um brincalhão”, disse Ricardo Tenório, incomodado com a postura do rival.

“Esse caso da arbitragem é uma coisa que nos preocupa. Viemos de um ano conturbado, não controlamos a formação de opinião. Temos que evitar um ambiente hostil e tomar cuidado com possíveis reflexos disso”, complementou Tenório, se referindo à permanência do Fluminense na Série A do Campeonato Brasileiro através de decisões nos tribunais.

O técnico Renato Gaúcho também se mostrou irritado com a situação após as declarações de Ercolino. O treinador do Fluminense foi menos agressivo  e deixou a briga para as duas diretorias.

“Se serviu o chapéu para alguém, não posso fazer nada. Sobre isso [arbitragem] falei na quinta. Agora é o nosso vice presidente que tem que falar mesmo. Não posso ficar me preocupando com coisas que não cabem a mim, mas a outras pessoas, da diretoria. Espero que o árbitro de domingo possa apitar e ser feliz para os dois lados”, disse Renato.

O árbitro do próximo domingo será Marcelo de Lima Henrique. No duelo, marcado para as 16h, o Fluminense terá a vantagem de jogar por qualquer empate para ir à decisão da competição, enquanto o Vasco só avança com uma vitória.

 

 

 

 

Fonte: UOL