Noticias

Mais duas linhas de trem estão totalmente paralisadas devido à greve em SP

  As linhas de trem 11-Coral e 12-Safira, que operavam parcialmente no início da manhã de hoje (13) na capital paulista, estão totalmente interrompidas, desde as 10h, em função da greve dos ferroviários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). As duas linhas atendem à população da zona leste e transportam, juntas, 440 mil pessoas por dia.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que, por causa da greve, o congestionamento na cidade atingiu pico de 148 quilômetros (km), um dos maiores do ano. A média diária no município fica entre 59 e 93 km. A CET declarou que as multas aplicadas na manhã de hoje, assim como o rodízio, estão suspensas. Caso a paralisação dos funcionários continue amanhã, a suspensão do rodízio municipal será mantida.

Além das linhas 11 e 12, a Linha 9-Esmeralda, que faz o percurso de Osasco, município da Grande São Paulo, ao Grajaú, bairro do extremo sul da capital, já estava totalmente sem operar desde a meia-noite de ontem (12). Já a linha 8-Diamante, que liga o município de Itapevi ao centro da capital, está apenas com uma estação fechada, a Júlio Prestes.

Em todo o município, já chega a 1 milhão o número de de pessoas sem transporte. Elas recorrem ao Plano de Apoio entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese), que disponibiliza ônibus para fazer o percurso interditado.

Uma assembleia organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviários da Zona Sorocabana, responsável pelas linhas 8 e 9, e pelo Sindicado da Zona Central do Brasil, que responde pelas linhas 11 e 12, está marcada para as 14h, na Estação da Luz.

Greve dos ferroviários paralisa linhas que transportam quase 1 milhão de pessoas por dia

13/06/2013

Três linhas de trem, que transportam quase 1 milhão de pessoas por dia, estão total ou parcialmente paralisadas desde a meia-noite de ontem (12) por causa da greve dos ferroviários da capital paulista. Apenas a Linha 9 – Esmeralda, que faz o percurso de Osasco, na Grande São Paulo, ao Grajaú, bairro da zona sul, está totalmente interditada. De acordo com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), por volta das 8h30 não haviam sido registrados tumultos nas estações.

Estão parcialmente paralisadas as linhas 11 – Coral, no trecho entre as estações Guaianazes e Estudantes, e 12 – Safira, entre a estação Engenheiro Manoel Feio e Calmon Viana, ambas na zona leste. Na Linha 11 são transportadas 200 mil pessoas por dia. Na Linha Safira, não existe um levantamento sobre quantos passageiros utilizam o trecho que está paralisado. A CPTM informou apenas que em toda a extensão da linha circulam diariamente 240 mil pessoas.

O Plano de Apoio entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese), que disponibiliza ônibus para fazer o percurso interditado, foi acionado em alguns trechos. Na Linha 9, haverá ônibus entre as estações Pinheiros e Grajaú; e na Linha 12, entre as estações Itaquaquecetuba e Poá e entre Itaquaquecetuba e Itaim Paulista. A Linha 11 será atendida pelo Paese integralmente.

A greve dos ferroviários foi deflagrada na noite de ontem (12), após a CPTM rejeitar a proposta apresentada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que previa, entre outros pontos, reajuste de 8,56%. O tribunal chegou a apelar para que os trabalhadores evitassem a paralisação antes que fosse anunciada uma decisão do TRT sobre o impasse.

As paralisações correspondem às linhas que são operadas por empregados representados pelos sindicatos dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de Transporte de Passageiros da Zona Sorocabana e dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona da Central do Brasil. Por isso, a greve afeta três das seis linhas da companhia de trem.

Da Agência Brasil