Noticias

Adolescente morre ao ser atingida por tiro no rosto na Praça Seca

Uma adolescente de 15 anos morreu, na noite desta sexta-feira, após ser atingida por um tiro no rosto na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio. De acordo com as primeiras informações, Ana Alicy dos Santos Viana foi atingida, por volta das 18h30, na Rua Capitão Menezes, por disparos que teriam vindo de uma comunidade da região. Ela estaria indo para a igreja.

Inicialmente, a jovem foi socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Madureira e depois foi transferida para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos.

Ana Alicy foi a terceira vítima fatal de bala perdida em pouco mais de 24 horas no Rio. Na tarde de quinta, no Complexo do Alemão, João Victhor Valle Dias, de 9 anos, morreu ao ser baleado no peito.

Hora antes , já em Senador Camará, Edna Palafoz de Oliveira foi atingira no momento em que bandidos armados atacaram um blindado da Polícia Milita.

Em 2017, 365 crianças e adolescentes foram mortos no Estado do Rio, sendo 104 em ações das forças de segurança, o que corresponde a 28% do total. O número mostra uma tendência de crescimento no estado desde 2011, quando a taxa de homicídios decorrentes de intervenção policial para adolescentes por grupo de 100 mil habitantes foi de 0,9, crescendo ano a ano até chegar a 7,4 no ano passado. Os dados estão na quarta edição do Dossiê Criança e Adolescente, lançado nesta sexta pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), órgão da Secretaria estadual de Segurança.

Segundo a organizadora do dossiê, Flávia Vastano Manso, o estado segue a tendência nacional de aumento dos assassinatos. “Na questão da letalidade violenta (de crianças e adolescentes) a gente viu que o Rio de Janeiro segue a tendência nacional, com mudança de patamar a partir de 2014 na taxa das vítimas de homicídios dolosos e também de mortes por intervenção policial”.