Noticias

Morre capitão do Exército baleado em setembro em Favela na Penha

O presidente Michel Temer e o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, usaram as redes sociais para manifestar pesar pela morte do capitão do Exército, Diego Martins Graça, ocorrida neste domingo (7), no Rio de Janeiro.

Pelo Twitter, o presidente Temer transmitiu seus sentimentos aos amigos e familiares do oficial. O comandante do Exército disse que Diego Martins Graça honrou as tradições de Duque de Caxias, patrono do Exército.”Minha continência é para você, Diego, que honrou as nossas tradições de Caxias”.

Baleado no pescoço por criminosos no dia 15 de setembro, durante operação no Complexo de Favelas da Penha, zona norte da capital, o capitão Diego foi o primeiro oficial morto em combate desde o início da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, iniciada em fevereiro deste ano.

Os criminosos usaram um Centro Integrado de Educação Pública (CIEP) para atacar os militares que iniciavam uma operação no Complexo de favelas das Penha. O oficial foi socorrido e levado pela tropa para o hospital Central do Exército, onde não resistiu ao ferimento e acabou morrendo neste domingo. O  velório e o local do enterro ainda não foram definidos pela família do militar.

Militares mortos na intervenção

O Exército Brasileiro homenageou, no dia 18 do mês passado, no Rio, os três militares mortos em agosto durante operação conjunta de segurança pública no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. Familiares dos três receberam, em nome dos combatentes a Medalha Sangue do Brasil, destinada a militares mortos em missão, em cerimônia na Vila Militar, na zona oeste da capital fluminense.

A condecoração foi entregue pelo interventor federal na segurança pública do Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, aos parentes do cabo Fabiano de Oliveira Santos, do 2º Batalhão de Infantaria Motorizado, do soldado João Viktor da Silva, do 25º Batalhão de Infantaria Paraquedista, e do soldado Marcus Vinícius Viana Ribeiro, do 2º Batalhão de Infantaria Motorizado.

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, discursou em homenagem ao cabo e aos soldados e lembrou de policiais que arriscam suas vidas no dia a dia da profissão.

“Os exércitos se fortalecem com o sangue de seus heróis. E os exércitos nunca se esquecem de seus heróis. Esses três meninos passam a fazer parte da história do Exército Brasileiro”, disse o general. “Às famílias, rogo a Deus que lhes dê força para superar esse momento difícil”.

 

(Fonte Agência Brasil)