Noticias

Empresa indiana vence seis lotes em leilão de linhas de transmissão

Sob gritos de hexa, a empresa indiana Sterlite Power Grid foi a grande vencedora do leilão de linhas de transmissão de energia elétrica realizado hoje (28) na B3, em São Paulo. A empresa venceu seis dos 20 lotes leiloados hoje, entre eles, os lotes 3 e 7, que tinham as maiores extensões em quilômetro. A Sterlite ainda levou os lotes 4, 12, 15 e 20.

O consórcio Lyon Energia, formado pelas empresas Lyon Infraestrutura, Gestão e Desenvolvimento de Projetos e pela PLM Empreendimentos Imobiliários, estreante no mercado de transmissão, também levou três lotes: os de números 6, 11 e 18.

Já o consórcio BR Energia/Enind Energia, que congrega as empresas BRenergia Energia Renováveis, Brasil Digital Telecomunicações e Enind Engenharia e Construção, venceu o leilão de dois lotes: o 5 e o 8. Também levou dois lotes o Consórcio Lux Luz, que adquiriu os de números 13 e 14.

Marcado para começar às 9h, o leilão só começou sete horas depois, após uma suspensão decorrente de uma ação judicial impetrada pela empresa Jaac Materiais e Serviços de Engenharia, também estreante no mercado de transmissão.

Neste leilão, as empresas declaradas vencedoras foram as que apresentaram o menor valor de receita anual permitida (RAP), em reais por ano. A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações.

Resultado dos lotes

O primeiro lote, que atende às cargas da região metropolitana de Florianópolis (SC), foi vencido pelo consórcio Columbia, que reúne as empresas Transmissora Aliança de Energia Elétrica e a Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep), com valor de oferta de R$ 38.231.291,00 e deságio de 66,65% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) inicial estabelecida pela ANEEL.

O segundo lote, que atende à região de Campos (RJ), foi vencido pela Zopone Engenharia e Comércio, com oferta de R$ 14.925.000,00 e deságio de 51,94%.

O lote 3, que engloba linhas de transmissão, subestações e trechos de linhas de transmissão no Ceará e no Rio Grande do Norte e com a maior extensão, com 541 quilômetros no total, foi vencido pela empresa indiana Sterlite Power Grid Ventures Limited, com oferta de R$ 85.050.000,00 e deságio de 58,54%.

O lote 4, que atende à região metropolitana de João Pessoa (PB), foi vencido também pela Sterlite Power Grid Ventures Limited, com o valor ofertado de R$ 25.700.000,00 e deságio de 57,16%.

O lote 5, que atende à região de Alagoinhas, na Bahia, foi vencido pelo consórcio BR Energia/Enind Energia, que congrega as empresas BRenergia Energia Renováveis, pelo Brasil Digital Telecomunicações e pela Enind Engenharia e Construção. O valor oferecido pelo consórcio foi de R$ 5.400.000,00 e o valor de deságio, 48,78%.

O lote 6, que atende a carga da subestação Tomba, na Bahia, foi vencido pelo consórcio Lyon Energia, com valor de R$ 10.900.000,00 e deságio de 37,45%.

O lote 7, que abrange municípios nos estados de Sergipe e na Bahia, com total de 454 quilômetros, foi vencido pela indiana Sterlite, com a oferta de R$ 52.510.000,00 e deságio de 60,59%.

O lote 8, que atende à região do sertão de Alagoas, foi vencido pelo consórcio BR Energia/ Enind Energia, com oferta de R$ 8.000.000,00 e deságio de 35,03%.

O lote 9, que compreende a região metropolitana de Fortaleza (CE), foi vencido pela CPFL Geração de Energia, controladora chinesa, com o valor ofertado de R$ 7.885.000,00 e deságio de 52,76%.

A empresa vencedora do lote 10, que atende o Vale do Paraíba, em São Paulo, foi a Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep), controladora colombiana, com valor oferecido de R$ 10.114.435,00 e deságio de 73,92%.

A vencedora do lote 11, que atende as regiões nordeste do estado do Tocantins e sul do Maranhão, foi vencida pelo consórcio Lyon Energia, com oferta de R$ 7.200.000,00 e deságio de 63,39%.

O vencedor do lote 12, que atende o estado de Goiás, também foi a indiana Sterlite, com valor oferecido de R$ 25.320.000,00 e deságio de 51,62%.

O lote 13, que atende às regiões de Rio Claro e Rio Verde, em Goiás, teve como vencedor o Consórcio Lux Luz, que engloba as empresas JB Construtora, JHH Participações Eireli e Total Comercializadora de Energia Elétrica e Gás Natural, com oferta de R$ 4.988.000,00 e deságio de 54,86%.

O lote 14, que tem a finalidade de estudo de atendimento elétrico no estado do Rio Grande do Sul, foi vencido também pelo consórcio Lux Luz, com oferta de R$ 5.209.672,10 e deságio de 47% em relação à receita inicial estabelecida pela ANEEL.

O vencedor do lote 15, que pretende suprir energia elétrica para a região metropolitana de Belém e região nordeste do Pará, foi novamente a Sterlite, que ofertou R$ 61.630.000,00 e valor de deságio de 32,42%.

O lote 16, que engloba municípios do Piauí e do Maranhão, teve como vencedor a empresa F3C Empreendimentos e Participações, com oferta de R$ 5.800.000,00 e deságio de 45,33%.

O lote 17, que engloba municípios no Piauí, foi vencido pelo consórcio Lyon Energia, com deságio de 51,37% e oferta de R$ 9.350.000,00.

O vencedor do lote 18, que engloba a região nordeste do Maranhão, foi o consórcio I.G. Transmissão e ESS Energias Renováveis, com oferta de R$ 7.800.000,00 e deságio de 23,62%.

O lote 19, que tem a finalidade de promover atendimento elétrico para a região sudeste do Pará, foi vencido pela Energiza, com oferta de R$ 33.515.000,00 e deságio de 57,18%.

E o último lote, de número 20, com a finalidade de promover o escoamento do potencial solar das regiões norte e nordeste de Minas Gerais, foi vencido também pela Sterlite, no valor de R$ 31.430.000,00, com deságio de 52,08%.

Suspensão

O leilão só teve início às 16h, porque a Jaac Materiais e Serviços recorreu à Justiça após ficar de fora do leilão por falta das garantias necessárias à participação, de acordo com o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. A Jaac, que conseguiu o direito de participação, estava interessada no principal lote do certame, o terceiro, referente às linhas de transmissão no Ceará e Rio Grande do Norte. O lote foi vencido pela empresa indiana Sterlite Power Grid Ventures Limited.

Além dela, 46 empresas e consórcios participaram do leilão, que negociou 20 lotes de linhas de transmissão de energia elétrica. Os lotes negociados contemplam 2.560 quilômetros de linhas, que deverão gerar R$ 6 bilhões em investimentos e aproximadamente 13,6 mil empregos. O prazo para operação comercial dos empreendimentos varia de 36 a 63 meses, com concessões por 30 anos, contados a partir da assinatura dos contratos.