Polícia Civil do Rio investiga se menina foi morta em acerto de contas | RJ notícias - Ultimas noticias RJ - Esporte - Politicia - Dicas - Entretenimento
Noticias

Polícia Civil do Rio investiga se menina foi morta em acerto de contas

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga se os suspeitos de assassinar a menina Brenda Valentina Alves de Oliveira, de 3 anos, no sul do fluminense,  estavam tentando acertar contas com o pai da criança, Maxilei de Oliveira Neves.

Segundo policiais, Maxilei disse em depoimento, que, dois dias antes, havia se desentendido com um dos suspeitos, que integraria a quadrilha responsável pela venda de drogas em Conceição de Jacareí, em Mangaratiba.

Brenda Valentina Alves Oliveira Aleixo, de 3 anos , é mais uma vítima da violência no Estado do Rio. A criança morreu após ser baleada no início da manhã deste sábado (31) perto do Morro do Chapéu, em Conceição de Jacareí, distrito de Mangaratiba, na Região Metropolitana do Rio. O pai teria desavenças com o tráfico da região.

Quem teria disparado contra ela foi um dos dois homens envolvidos com tráfico de drogas que entraram na residência dos pais da menina. Por enquanto, apenas um desses bandidos foi identificado: Leonardo dos Santos Minas.

O pai de Brenda contou à Polícia que estava saindo para trabalhar com a filha quando foi abordado pela dupla de traficantes. Ele teria entrado no carro e arrancado, mas o veículo foi alvejado por vários disparos, e um deles atingiu a filha dele, que estava no banco traseiro. Disse, ainda, suspeitar que os criminosos estavam tentando atingi-lo, visto que há dois dias havia se desentendido com um homem, conhecido como Chuck, também envolvido com o tráfico de drogas.

Os pais encontraram equipe do 33º BPM (Angra dos Reis), que a levaram para um posto de saúde no município. Brenda foi transferida para o Hospital Pedro II, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, onde morreu por volta das 11h.

Ainda segundo o comando do batalhão, policiais realizam buscas no Morro do Chapéu com o objetivo de prender os criminosos, que fugiram.