Noticias

Término da Linha 4 do metrô Rio depende de empréstimo

d1b48fd74eb0839c0aa02da77971b6ae

De acordo com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, a situação da linha 4 do metrô precisa estar definida em no máximo 15 dias, para que o poder municipal consiga implementar um plano de contingência, caso o modal não possa ser utilizado nas Olimpíadas.

Atualmente, o governo do estado aguarda a liberação de um empréstimo de quase R$ 1 bilhão para a conclusão da linha que vai ligar a Zona Sul a Barra da Tijuca, que tem abertura prometida para o dia  primeiro de agosto.

A linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro é considerada a principal obra de mobilidade entre os legados das Olimpíadas de 2016. No entanto, o legado também vai ficar em relação aos custos mais altos. A obra inicialmente foi orçada em R$ 5,5 bilhões, depois o valor subiu para R$ 7,8 bilhões e agora chega a R$ 9,7 bilhões, já contando com este novo empréstimo.

Na visita que fez ao Rio de Janeiro na semana passada, o presidente interino Michel Temer afirmou que o assunto seria resolvido esta semana, apesar do aviso Eduardo Paes mantém a confiança de que o principal acesso para o Parque Olímpico da Barra da Tijuca vai estar  disponível para uso durante os jogos.

As obras da Linha 4 do metrô, é a construção mais cara do Rio de Janeiro,o metrô da Praça General Osório, em Ipanema, até o Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, vai custar R$ 8,7 bilhões,a linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro custará quase o dobro do previsto inicialmente.

No dia 12 de abril de 2016, o governador em exercício do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, sancionou o projeto de lei do próprio executivo autorizando o governo a contratar mais um empréstimo, desta vez no valor de R$ 989 milhões, junto ao BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social para conclusão da linha 4 do metrô.