Noticias

Macuco é o município com menos eleitores no estado do Rio

Um fato curioso faz de Macuco, na região serrana fluminense, o município com o menor número de eleitores no estado do Rio de Janeiro –  eles são 6.560, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) – e também aquele em que a população é inferior ao eleitorado.

O prefeito Félix Lengruber esclareceu, em entrevista ,  que isso ocorre devido a um problema de limite territorial com o município vizinho de Cantagalo, cuja área está em litígio há cerca de 40 anos e envolve  polo cimenteiro e jazidas de calcário. A ação está no Supremo Tribunal Federal (STF), com 2 votos a 0 a favor de Macuco, de acordo com o prefeito. Mas, em virtude do litígio, 50% do território de Macuco não foram recenseados. “Não contaram nem para uma cidade, nem para outra”, ressaltou.

Por essa razão, Lengruber disse que em Macuco o número de eleitores ultrapassa em 110% o da população, que ele estima em 12 mil habitantes. Mas, pelo Censo de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município tem só 5.269 moradores. A população da cidade é, em sua maioria, urbana. Em torno de 600 eleitores vivem da zona rural, e há uma evasão que tem se acentuado a cada ano, disse o prefeito, adiantando que na década de 1970 a população rural era em torno de 4 mil pessoas.

O município de Macuco está preparado para as eleições do próximo domingo (5). “A população participa mesmo”, disse Félix Lengruber, e explicou que, por ser uma cidade do interior, a disputa entre os candidatos é acirrada.

Titular da 52ª Zona Eleitoral, que atende aos municípios de Macuco e Cordeiro, a juíza Samara Freitas Cesário disse que a campanha para a eleição na região está bem tranquila. Ela informou que todos os preparativos para a eleição foram providenciados, e sua expectativa é “que corra tudo com tranquilidade”. Lengruber acrescentou que as campanhas na região têm transcorrido tranquilas, sem incidentes sérios. “São municípios pequenos, e o eleitorado é também pequeno”, destacou.

Não houve nenhum pedido de reforço de policiamento para o dia da votação. A juíza esclareceu que as zonas eleitorais têm policiamento 24 horas por dia, nos dias que antecedem a eleição, e no  próximo domingo haverá policiamento efetivo nos locais de votação. No maior local, que reúne oito seções eleitorais, haverá reforço do policiamento. “No dia, tem todo um trabalho da Polícia Militar (PM) para fiscalização”, disse ela, que se resume a um policial por local de votação e até três PMs em locais com maior afluência de eleitores.

Ao todo, Macuco terá 23 seções eleitorais, em seis locais de votação, concentradas na zona urbana. “Macuco tem cerca de 78 quilômetros quadrados e não tem zona rural”, segundo a juíza. A equipe de apoio à juíza nas eleições é integrada por sete servidores no cartório, que trabalham na preparação da eleição e farão também a fiscalização. No dia da eleição haverá ainda oito administradores de prédios nos locais de votação, além de 92 mesários – todos  moradores de Macuco.

Só 85 novos eleitores se cadastraram para esta eleição. Todos tiraram o título eleitoral neste ano e estarão exercendo o direito de voto pela primeira vez. São jovens eleitores, com menos de 18 anos. A eleitora mais velha da cidade tem 98 anos, mas por uma questão de sigilo, a juíza Samara Freitas não mencionou o nome.

A expectativa do prefeito Félix Lengruber é que a eleição  tenha a participação de 90% do eleitorado. Do total de 6,560 eleitores, entre 5% e 10% devem justificar o voto. “São filhos de macuquenses que estudam ou trabalham em outras cidades”, concluiu.

 

 

 

(Agência Brasil)