Noticias

Forças Armadas e polícias Civil e Militar prendem 11 suspeitos na favela Kelson’s

As Forças Armadas e agentes das polícias Civil e Militar prenderam 11 pessoas, todas maiores, em flagrante ou em cumprimento de mandados, durante operação, nesta manhã desta terça-feira (20), na comunidade Kelson’s, na Penha, Zona Norte do Rio, que fica ao lado de um centro de formação da Marinha. O balanço final da ação foi divulgado no fim da tarde.

Desde o começo do ano, a segurança no local foi reforçada após dois episódios de ameaças aos militares.

Durante a operação desta terça, houve apreensão de cinco pistolas e um revólver, dois simulacros de pistola, seis granadas, seis carregadores de pistola, 11 rádios transmissores além de um caminhão, dois carros, quatro motos, várias peças de carros, grande quantidade de drogas e munições.

Ainda nesta manhã de terça, três mil militares das Forças Armadas e agentes das polícias Civil e Militaros aturam em bloqueios nos acessos às comunidades do Salgueiro e Jardim Catarina, em São Gonçalo, e Chapadão-Pedreira, na Zona Norte, segundo a Secretaria de Estado de Segurança (Seseg). Operações de cerco, desobstrução de vias e ações de estabilização para cumprimento de mandados de Justiça foram deflagradas nas comunidades Cidade Alta, Pica- Pau, Cinco Bocas e Tinta, além da Kelson’s, todas na Zona Norte do Rio.

A ação integrada, que foi considerada a maior operação realizada, até o momento, pela Seseg, teve início na noite desta segunda (19), com a ocupação de vários pontos da cidade, como na comunidade da Kelson’s, Arco Metropolitano e o bloqueio rodovias que fazem divisa com o estado do Rio e passam por São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, como a BR-116, na Baixada Fluminense.

Chefe da Seção de Relacionamento com a Mídia do Comando Militar do Leste (CML), o coronel Roberto Itamar afirmou que militares flagrados utilizando balaclavas com estampas de caveiras durante operações como as de hoje poderão ser punidos.

Participaram da operação, além das Forças Armadas e as polícias Civil e Militar, as Polícias Rodoviárias Federal e Estadual e a Força Nacional/Senasp, que atuaram com objetivo de reduzir os índices de roubos de cargas, assim como impedir a entrada de armas e drogas no Estado.

As ações seguem orientações do Decreto Presidencial de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para ações em apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública, assinado em 28 de julho de 2017, não estando vinculadas à intervenção federal decretada na última sexta-feira (16).