Noticias

Justiça condena a três anos de internação assassino de Ana Beatriz

A Justiça do Rio determinou que o primeiro adolescente preso pela participação na morte de na morte de Ana Beatriz Frade, 17 anos, durante arrastão perto da Linha Amarela, na altura de Del Castilho, Zona Norte, seja internado no Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) pelo período de três anos.

Nesta quarta-feira (15) a polícia civil apreendeu um outro adolescente, também de 17 anos, o último participante da morte de Ana Beatriz. Os policiais encontraram o menor em flagrante durante roubo no bairro de Cachambi, na Zona Norte. Ele foi ouvido e encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) para ser apresentado à Justiça.​

Na decisão divulgada nesta quinta-feira (16), a juíza da Vara da Infância e da Juventude,Vanessa de Oliveira Cavalieri Felix, considerou que os depoimentos na última audiência e em outras oportunidades comprovam o ato infracional do adolescente, e afirmou ser irrelevante que o infrator não tenha sido quem efetuou o disparo da arma que matou a menina. A juíza também entendeu ser necessária a internação como medida extrema para de ressocialização e educação. O processo corre em segredo de justiça.

De acordo com as investigações da Delegacia de Homicídios, os autores do crime seriam Douglas Paiva Santos Ventura da Silva, Gustavo Pedrosa Barros, ambos com 18 anos; Victor Hugo dos Santos Correia, de 22 anos; Jefferson de Paiva Campos da Cruz, de 23 anos; e os dois adolescentes.

Douglas foi preso em flagrante pelo crime de associação criminosa no dia seguinte ao crime, durante buscas da 44ª DP (Inhaúma). Segundo a polícia, ele seria o autor do único tiro que atingiu e matou Ana Beatriz. Jefferson seria o encarregado de dirigir os carros roubados pela quadrilha, segundo a polícia.

O delegado Fábio Salvadoretti, da Divisão de Homicídios (DH), confirmou , que Douglas Paiva Ventura da Silva, de 18 anos, foi o autor do disparo que matou a jovem Ana Beatriz Frade, Douglas confessou o crime em depoimento. Ele contou que atirou na cabeça da vítima porque o carro onde estava a jovem não parou quando foi abordado.

Douglas foi preso em casa,por policiais da 44ª DP (Inhaúma) e levado para a DH. Segundo as investigações, um dos menores admitiu participação no crime. Ele teria dito também que foi Douglas quem deu o tiro que matou Ana Beatriz. Douglas inicialmente negou.

Mas ele foi reconhecido por uma policial militar, que ia para o trabalho quando foi abordada pela mesma quadrilha, quase no mesmo momento que a jovem foi atingida. A policial conseguiu escapar. Os assaltos naquela região têm sido frequentes. Foram quase 200 roubos a carros só nos três primeiros meses deste ano.

O delegado também afirmou que, em depoimento, um dos jovens apreendidos afirmou que Douglas é uma pessoa fria e calculista. “O menor apreendido também relatou aqui na delegacia que o atirador, o Douglas, que estava com a arma no momento do crime, é uma pessoa fria, calculista e que costuma praticar roubos naquela região”, disse.

O delegado comentou ainda que após ter disparado contra o carro da jovem, o criminoso permaneceu no local para realizar roubos contra outras vítimas. “Depois que ele matou a menina, ele continuou praticando roubos na região, tamanha frieza dele. Aconteceu a morte, ele continuou roubando e conseguiu roubar outras pessoas. Essas investigações [sobre roubo] estão a cargo da delegacia da área”, completou