Noticias

Mãe de adolescente morto na Maré quer saber onde estava a polícia

images (1)

Apesar da ocupação do Conjunto de Favelas da Maré, no Subúrbio do Rio, ter sido de paz para a maioria dos moradores no domingo (30/03), um jovem de 15 anos morreu baleado durante uma briga de grupos na divisa de duas favelas da região. Como mostrou o Bom Dia Rio nesta segunda-feira (31/03), a mãe de Vinícius Guimarães, que levou um tiro durante o tumulto, não entende como a ação passou despercebida pela Polícia Militar, que ocupou a região com um efetivo de 1.180 policiais militares, algumas horas antes.

“Foi duas horas da tarde. Já tinha acontecido a ocupação toda. Eu não entendo porque. Onde estava a polícia que não viu esse tiroteio ali. Onde’ que os policiais estavam que não viram essa guerra ali? Ninguém sabe de nada. O garoto aparece armado, tirando a vida do meu filho, de quinze anos”, lamentou a mulher, que preferiu não se identificar, com medo de represálias.

Para a mãe de Vinícius, a maior surpresa foi que esse episódio aconteceu justamente no dia de uma ocupação. “Não ia imaginar que ia acontecer comigo no dia da ocupação. Poderia acontecer em qualquer outro dia, eu não ia ficar nem surpresa”, disse ela.

O pai de um dos adolescentes feridos, que também preferiu não se identificar, disse que o filho não participava do confronto. “Ele foi ver a guerra de pedra da Nova Holanda com o pessoal da Baixa do Sapateiro. Aí, nisso, os caras da Nova Holanda deram tiro de pistola. Foi na base de quase cinco tiros, né?”, comentou.

Dois feridos no tumulto
A briga ocorreu entre as comunidades de Nova Holanda e Baixa do Sapateiro, local conhecido por ser o campo de batalha entre facções rivais. De acordo com a PM, uma guerra de pedras entre dois grupos de pessoas começou no início da tarde de domingo. Imagens do Jornal “O Globo” mostram o momento em que um jovem atira uma pedra. Logo após é ouvido um barulho de estouro. Além de Vinicius, outros dois jovens ficaram feridos no confronto.

Os feridos foram socorridos no Hospital Federal de Bonsucesso. De acordo com assessoria da unidade hospitalar, um adolescente, de 13 anos, foi baleado nas costas e outro, de 16 anos, no rosto. Nenhum deles foi submetido a cirurgia e não havia previsão de alta até as 7h desta segunda, conforme informou a assessoria.

Discussão em jogo, diz PM
Segundo moradores, o confronto envolveu jovens que seriam ligados a facções rivais. Inicialmente, os grupos trocaram pedradas até que um dos envolvidos sacou uma arma e atirou. No entanto, a PM havia informado, por meio de nota, que ocorreu uma “discussão entre jovens que estavam num jogo de futebol, o que teria motivado uma briga entre eles.” Em seguida, também segundo a PM, algumas pessoas tentaram interditar a Linha Vermelha em protesto.

Também em nota, a Polícia Civil informou que a Divisão de Homicídios da Capital (DH/Capital) instaurou inquérito policial para apurar as mortes e descobrir a autoria do crimes.

No fim da tarde de domingo, um caminhão cheio de detidos chegou até a 21º DP (Bonsucesso). De acordo com a PM, 27 pessoas foram detidas, suspeitas de envolvimento no confronto. Ainda segundos os agentes, havia mandado de prisão contra um deles, que ficou preso. Os outros 26 suspeitos foram liberados no início da noite.