Noticias

Lista dos cinco políticos mais ricos do Brasil foi divulgada pela Revista Forbes

Com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a revista americana Forbes elaborou uma lista com os políticos mais ricos do Brasil. Apesar de citar o grande problema da corrupção brasileira, a publicação destaca que a maioria deles construiu sua fortuna antes de entrar na vida política. Ao todo, os cinco políticos citados na matéria apresentam um patrimônio estimado de quase 3,2 bilhões de dólares. Com fortuna de 1,9 bilhão de dólares, o suplente do senador Eduardo Braga (AM) e dono da Videolar, Lirio Albino Parisotto, lidera a lista. Em segundo lugar ficou Blairo Borges Maggi. O político conhecido como “o rei da soja” teria sido responsável por metade da devastação ambiental brasileira entre 2003 e 2004, segundo levantamento do Greenpeace. O seu patrimônio está estimado em US$ 960 milhões. O deputado Marcelo Beltrão de Almeida ficou com o terceiro lugar. O quarto político mais rico do Brasil é Otaviano Olavo Pivetta, prefeito de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. Pivetta foi acusado de compra de votos durante a sua campanha, mas foi inocentado das acusações pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no ano passado. Seu patrimônio líquido é de US$ 100 milhões. Em quinto lugar aparece Paulo Maluf, com 33 milhões de dólares de patrimônio decorrente da Eucatex.

1º) Lírio Albino Parisotto

BB6AAA7B5326B7ACFA10E922C06_h400_w598_m2_q90_cwOqPsSLp

Patrimônio estimado: US$ 1,9 bilhão

Parisotto foi eleito segundo suplente ao lado de Eduardo Braga, um senador que atualmente representa o estado de Amazonas, e é um dos maiores investidores no mercado de ações nacional.

Nascido no sul do Brasil, ele atualmente vive em Manaus. Em 2010, foi convidado por Braga para se juntar a ele como segundo suplente durante sua campanha em troca de financiamento de campanha, prática comum no país. Proprietário da Videolar, Parisotto inicialmente entrou ao mundo político com o propósito de lutar contra a pirataria e falsificação.

 

 

2º) Blairo Borges Maggi

.82F667EAE9615B2A880C56F8F20A5_h400_w598_m2_q90_cWxmfiCEi

Patrimônio estimado: US$ 960 milhões

Maggi é o homem mais poderoso da agricultura brasileira e um proeminente político. De vilão a herói do meio ambiente, Maggi foi premiado com a “Motosserra de Ouro” do Greenpeace em 2005, quando era governador do Mato Grosso, estado brasileiro com a maior taxa de desflorestamento. Eleito pela segunda vez um ano depois, ele hoje é senador do estado. Maggi também é um dos proprietários do maior produtor de soja do mundo, o Grupo Andre Maggi, criado por seu pai. Seu patrimônio se baseia na fatia de 17% do grupo.

 

3º) Marcelo Beltrão de Almeida

 B77830D123B3A65E525BC0086C3_h400_w598_m2_q90_cOQdQKKBK

Patrimônio estimado: US$ 200 milhões

O terceiro colocado na lista é herdeiro de uma das maiores empresas do país no ramo de construção, a CR Almeira, fundada pelo falecido pai, Cecílio de Rego Almeida. Marcelo também possui posição de segundo suplente na Câmara dos Deputados e é considerado para um cargo de senador para 2015. Tirando seus negócios no ramo de construção, sua família também possui propriedade na EcoRodovias, concessionária de estradas, que também possui capital aberto.

 

4º) Otaviano Olavo Pivetta

7A8A523E7DE390281AE8F6383E2EB_h400_w598_m2_q90_cyMFuQdgA

Patrimônio estimado: US$ 100 milhões

Pivetta é prefeito de Lucas do Rio Verde, pequena cidade mato-grossense de apenas 25 anos e com um dos maiores IDHs entre as cidades brasileiras. Eleito em 2008, ele foi reeleito em 2012. Após a eleição, foi acusado de comprar votos durante sua campanha, mas foi absolvido pela Suprema Corte Eleitoral ano passado. Ele é o maior acionista individual da empresa de capital aberto Vanguarda Agro, uma das maiores produtoras de grão do país.

 

 

5º) Paulo Salim Maluf

 

 283C9CB4C1DF2256E01DC37E539251_h400_w598_m2_q90_cXHhWKjXc 

Patrimônio estimado: US$ 33 milhões

Figura conhecida na política brasileira, Muluf está presente na lista da Interpol entre os mais procurados junto a seu filho, Flávio Maluf, por conta de acusações de conspiração e furto em um esquema de propina à custa dos contribuintes brasileiros (ambos negam qualquer coisa que tenham feito errado). Ex-governador e prefeito de São Paulo, Maluf vem sendo acusado de corrupção em seus mais de quarenta anos de vida pública, ainda que ele nunca tenha sido condenado nos tribunais nacionais.

O caso ainda está em aberto. Sua família tem uma grande fatia na Eucatex, de capital aberto, uma das maiores fornecedoras de material para as indústrias de construção civil e móveis no Brasil, sua fortuna é baseada em suas ações na empresa.